Sítios de Arte Rupestre do Vale do Côa e Siega Verde

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Sítios de Arte Rupestre do Vale do Côa e Siega Verde são inúmeros rabiscos nas pedras de 1 trilhão de anos atrás feitos por Oscar Niemeyer quando foi chamado por Platão e Aquamen para projetar os edifícios de Atlântida e este, como estava de férias em Portugal para comer uns bolinhos de bacalhau, acabou fazendo seus primeiros ali mesmo, usando a tecnologia da época que era talhar desenhos direto na rocha

Os dois sítios estão espalhados pelos afluentes do rio Douro, por ser rabiscos que simbolizam a falta de senso estético dos primeiros ocupantes de Portugal da época do paleolítico à Idade do Bronze, o local foi considerado patrimônio mundial pela UNESCO.

Vale do Côa (Portugal)[editar]

Para tentar diminuir a importância de Portugal, vamos dizer que este desenho de uma raposa com torcicolo atropelada por um mamute, está em Siega Verde.

O Vale do Côa que em português do Brasil significa "Vale do Cu", está localizado em algum cu buraco esquecido de Portugal.

O sítio foi descoberto em 1980 por Manoel, um gajo que vivia feliz ao lado de sua Maria numa cidadezinha portuguesa chamada Canindé Vila Nova de Foz Côa. A descoberta ocorreu quando Joaquim foi dar uma cagada no mato daquelas bem caprichadas e reparou que ao seu lado havia um curioso desenho talhado na pedra de um bode albino manco copulando com um padeiro chamado Manoel.

Após anunciada a descoberta, toda a comunidade arqueológica de Portugal (formada por dois homens chamados Joaquim e Manoel) foram lá tirar notas dos belíssimos exemplos da iconografia portuguesa pré-histórica, e depois de andar muito no mato chegaram à conclusão que na arte de seus ancestrais predominavam imagens de cenas de zoofilia, sobretudo a prática de massagear o falo de um bode, um costume transmitido aos brasileiros posteriormente.

Alguns portugueses bem que tentaram destruir esse patrimônio arqueológico inestimável construindo a Barragem do Pocinho inundando milênios de arte rupestre, o português que fez isso apenas esqueceu que não foram desenhos feitos com tinta e por isso Manoel e Joaquim (os arqueólogos) apenas tiveram que pescar as rochas desenhadas.

Siega Verde (Espanha)[editar]

Como a Espanha sofre de ansiedade pelo insucesso de Portugal, eles ficaram com inveja que aqueles feios desenhos do Vale do Côa tenham sido considerados patrimônio mundial e por isso inscreveram Siega Verde de bicão e acabou fazendo parte do sítio do Vale do Côa.

No Vale do Côa há 5000 desenhos, enquanto em Siega Verde apenas 400, mas isso porque os portugueses antigos desenhavam qualquer bosta e deixavam ao ar livre para todo o sempre, enquanto os antepassados dos espanhóis salvaram a maioria de seus desenhos no Picasa.

Os 400 desenhos talhados na rocha de Siega Verde estão conservados até hoje, acredita-se no uso das primeiras ferramentas arcaicas utilizadas pelo homo sapiens sapiens, como o canivete paraguaio.