Santuário do Bom Jesus do Monte

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Prefiro o Museu de Arte de Filadélfia mesmo Cquote2.png
Rocky Balboa sobre Santuário do Bom Jesus do Monte

Santuário do Bom Jesus do Monte localizada em Braga (cidade secundária de Portugal) é uma dessas tantas igrejas portuguesas em estilo barroco, particularmente famosa por ser o modelo-base das 5875 igrejas-matriz que existem em cada um dos municípios do Brasil. É dali que vem o exemplo, seguido fielmente por todas as demais igrejas construídas depois dessa, de grande desrespeito aos cadeirantes. A ideia é que o Bom Jesus pode milagrosamente curar as pernas do paraplégico que dali se aproxime, então ele pode subir os milhares de degraus ali existentes.

História[editar]

Famosa escadaria do santuário, porque não basta ter fé, precisa ter condicionamento físico mesmo.

Ao longo dos séculos XIV e XVII o que existia ali era apenas uma ermida, porque Braga só tem preguiçoso e nada mais perfeito para um monge/frei se isolar do que no alto de uma colina. Absolutamente ninguém ia incomodar ali e assim por 400 anos esses freis ficaram na mais completa paz ali, pois assim que viam aqueles 116 metros de colina íngreme qualquer um virava ateu e desistia. Só em 1629 que decidiram construir uma capela ali, para abrigar alguns masoquistas que receberam um nome menos agressivo da igreja de "romeiros".

Só em 1722 construíram o santuário de grandes dimensões como é hoje. A ideia era construir um santuário no lugar mais isolado e mais alto de Braga para deixar os religiosos o mais longe possível. A ideia deu muito certo e hoje em dia Braga está cheia de ateus satisfeitos.

Escadórios[editar]

Quando estavam construindo a escadaria para o santuário, o arcebispo percebeu que seria um puta trampo árduo demais para os fiéis subir aquele tanto de escadas todas, mas foi então que uma iluminação divina deu a ele uma ideia perfeita, e ele transformou o que antes seriam centenas de degraus chatos e cansativos em um passeio interativo ao estilo das atrações dos parques da Disney e da Universal. Por isso as escadas são totalmente decoradas com atrações interativas.

No primeiro lance de escadas estão as fontes da Visão, Audição, Olfato, Paladar e Tato (que aliás, estão completamente tomadas por fungos, pra comprovar que tem água de verdade correndo ali). O visitante deve portanto não apenas ver, mas também ouvir a água, cheirá-la, prová-la e tocá-la. Assim ganhando a bênção do Bom Jesus. No segundo lance de escadas estão as fontes da Cruz, da Maleta e dos Dois Anões Pelados.

E por últimos estão as estátuas da Via Crucis, para incentivar o masoquismo do fiel, porque Jesus também passou por aquilo.

Elevador do Bom Jesus[editar]

Aparato lateral ao santuário construído em 1882 para permitir que pessoas preguiçosas possam chegar no santuário sem suar a camisa (não ajuda cadeirante porque pra chegar nesse elevador tem que passar por um monte de escadas - cadeirante em Braga é pra ser ateu, Deus nunca curou a paraplegia deles mesmo). Este elevador jamais recebeu uma única reforma até hoje e ainda funciona, ele é tipo um bonde sobre trilhos, só que com um chassi de kombi.

Parque do Bom Jesus[editar]

Um bosque onde as pessoas podem alugar barquinhos para navegar numa lagoa menor que uma piscina de 1000 litros. O lugar é bom mesmo só para os monges budistas hippies que plantam maconha para subsistência que ali vivem.